O ultimo que sair apague a luz

domingo, 18 de maio de 2008


Aposentadoria Precoce

Tem tempos que uma notícia não me surpreende, mas ver Justine Henin atual campeã olímpica e n° 1 do tênis feminino anunciando a sua aposentadoria me pegou com as calças na mão. Não que eu tenha sido fã, mas ver alguém de 25 anos falar que não encontra mais motivação em sua profissão é um tanto quanto estranho. Já ouvi falar algumas vezes que ser campeão é difícil, mas que difícil mesmo é se manter motivado por anos a fio. Quantas vezes ouvimos falar ou conhecemos pessoas que tem um enorme talento ou uma enorme capacidade, mas não conseguem se motivar de forma adequada? Mas quem sabe a hora de parar?! Será que Romário demorou de mais?! E Cafú que afirma ainda querer disputar outra Copa do Mundo?! O que posso fazer é lamentar que uma pessoa com tamanha capacidade técnica e força mental nos prive de ver suas belas jogadas, quando claramente ainda tinha capacidade para fazê-lo por mais alguns anos.

Chavez sempre aprontando das suas

Não isso não é resumo de uma das reprises do programa bicentenário que passa no SBT, mas obviamente peguei o gancho para comentar as seguidas atitudes sem noção do presidente da Venezuela. Depois de ouvir um cala boca do Rei da Espanha, levar ferro nas eleições que lhe promoveriam a "Messias" e se envolver em um caso de financiamento a um grupo terrorista na Colômbia, fora as inúmeras asneiras ditas anualmente, mas de pouca repercussão o que você faria politicamente?! Eu no meu caso, tentaria ficar um pouco quieto, sair de cena, esperar a poeira baixar. Mas não, claro que não. Chavez que é Chavez mesmo, não se contenta em fazer apenas uma merda por episódio. Por isso mais uma vez o presidente da Venzuela fez uma das suas ao comparar a atual chanceler alemã com Hitler. Dizer que esse cidadão tem problemas mentais, que ele gosta de aparecer, não sabe a hora de se calar é pouco. Espero sinceramente que o povo venezuelano perceba que esse tipo de líder não os representa e busquem eleger pessoas que promovam mudanças reais em sua sociedade. Não prolongando a permanência no poder desse falso líder revolucionário que instaurou uma ditadura do petróleo, abarrotando de dinheiro seu próprio bolso.

Quando será o bastante

Depois de mais de um mês acho que já esta na hora da imprensa brasileira dar um tempo na badalação do caso Nardoni. Concordo que é um caso controverso e que mexa com o imaginário do povo, mas a vida real não deveria ser tão explorada desta maneira. Tiveram canais transmitindo ao vivo a reconstituição do crime, a prisão dos acusados e mesmo assim não foi o bastante. Em especial a rede Globo busca de uma forma até grotesca a condenação imediata do pai e da madrasta. Acho que o crime foi bárbaro, a versão dos acusados é falha, mas mesmo assim, os meios legais existem no nosso país para tomar as providências cabíveis. Surpreende-me o efeito que esse acontecimento tomou dentro da programação televisiva e escrita da Rede Globo de Jornalismo. Ainda que eu fosse mais novo e que tenha sido há algum tempo atrás, nem a morte da filha de Glória Perez [Daniella Perez] mobilizou tanto as atenções desta. E olha que ela é uma das maiores autoras de novela desta emissora além do que a sua filha morreu com 18 tesouradas, um crime por tanto chocante. Mesmo assim depois de tudo eles buscam um novo foco de ação, que agora passa ser a mãe da vítima. Esta após entrevista para o Fantástico, teve ainda foto sua estampada na edição desta semana da revista Época com a seguinte chamada: “Época teve acesso à intimidade da mãe de Isabella na tentativa de decifrar de onde vem sua força impressionante para lidar com a dor”. [Sem comentários.] Coisas deste tipo não estão tão longe do que falam e fazem Ratinho, Datena, Boção e Varella.

Lamentável isso.

Parabéns para as mães todos os dias

domingo, 11 de maio de 2008


A história mostra que demorou muito tempo para as mulheres serem reconhecidas e terem direitos iguais aos homens. Datado do início do século XX o dia das mães ainda é muito pouco para homenagear as mulheres que lutaram ao longo dos séculos por mais liberdade e direitos. E olhando um pouco para tempos passados também é necessário lembrar que em alguns momentos nos faltou sensibilidade e até respeito. Durante boa parte da antiguidade, passando pela idade média e ainda chegando a modernidade as mulheres não tinham direito sobre o seus filhos e ainda hoje no Brasil as vezes não o tem. Na Grécia antiga em Esparta por exemplo os filhos eram retirados das mães cedo e pertenciam à cidade, na idade média mesmo os filhos bastardos pertenciam aos seus pais e ainda hoje no Brasil os pais são os que registram os filhos.

Mesmo assim avançamos muito nesses séculos. As mães foram ganhando uma importância mais do que simbólica tendo os seus direitos sobre seus filhos garantidos por lei. Hoje as mães tem direito a licença maternidade, a guarda de seus filhos, à adoptar crianças mesmo sem marido e porque não às tão comuns produções independentes [quando mães solteiras resolvem ter um filho e criá-lo mesmo sem um pai presente]. Mas mais do que os direitos reais o que mudou foi o significado de ser mãe e de se ter mãe, aquela não só que bota ao mundo, mas cria, cuida e auxilia no crescimento dos filhos.

Ainda sim é muito pouco para o que elas representam, as mães e mulheres merecem mais do que ser lembradas por um dia. Deveríamos celebrar e respeitar estas diferenças e suas semelhanças mais vezes, elas merecem. Aproveito o espaço para dar meus parabéns e agradecer as mães que tive ao longo da vida, as minhas tias, minhas primas mais velhas, minhas avós que muito contribuíram para meu crescimento e em especial é claro para a minha mãe que tanto admiro pela sua garra, sensibilidade, e caráter. Agradeço a todas pelo carinho, pela compreensão, pelos puxões de orelhas necessários, pelas palavras de incentivo e amor quando precisei, por me ensinarem a ser uma pessoa melhor e principalmente por me ensinarem a valorizar, respeitar e amar as mulheres. Amos todas vocês.


Abraços a todos e parabéns as mães pela web!


Tempo de mudanças....

domingo, 4 de maio de 2008


Pois é ainda não abandonei o blog e espero sinceramente que daqui para frente os textos se tornem mais frequentes. Já tinha um tempinho que eu não colocava nada por aqui, mas bateu a saudade. Sempre curti escrever e nesse tempo distante vontade não me faltou, talvez tenha se perdido um pouco da inspiração, mas tenho lido muitas coisas legais pela net e hoje resolvi postar alguma coisa. Em minha defesa digo que reservei um tempo para minhas férias mentais e o resto foi consumido pelo estreasse de ter meu computador quebrado. Bem, muita coisa aconteceu nesse tempo e como eu não queria perder alguns assuntos que me chamaram a atenção eu vou fazer uma série de rapidinhas, talvez com o tempo se torne mais constante, quem sabe.


As primárias americanas:

Aproveitando a uma reportagem recente da revista Época gostaria de relacionar 2008 a um ano ímpar para gerações passadas,1968, um ano de grandes revoluções culturais de grandes acontecimentos políticos. Pegando o gancho daquela época que promovia mudanças de pensamento em relação ao lugar do negro e da mulher na sociedade ocidental, vivemos um ano de 2008 que poderá eleger uma mulher ou um negro para a presidência dos EUA. E mesmo que a eleição de Barack ou de Hillary não traga efectivamente uma mudança de postura dos EUA e suas políticas, vale e muito nesse caso a mudança de pensamento do povo americano nesse 40 anos. Só o fato de acreditar e se aceitar a ideia de um negro ou uma mulher na presidência mostra que essas de lutas de género e raça valeram e muito. O mundo mudou e continuará mudando, esperarei então por um dia um que a candidatura a presidência de um homesexual não seja tão controversa. Mas isso ainda exige algum tempo.

Cuba sem Fidel:

Quase 50 anos depois Cuba e Fidel vivem uma relação diferente e o líder da uma mostra de um singular altruísmo que não se viu em nenhum "ditador" na história. O grande x na questão que vai colocá-lo em um outro patamar foi a abdicação voluntária do poder. Ainda que exercesse o poder simbólico em Cuba por causa de suas condições de saúde, ao contrário de outros líderes do passado, Fidel soube sair de cena. Percebendo que em um momento propício que as realidades para sua terra poderão ser outra tendo este fora da esfera de poder mais directamente. Ao fazer isso aliado com o movimento de abertura social, cultural e económico que esta sendo posto em ação por seu irmão Fidel faz com que o hoje lhe absolva e de novo faz uma nova revolução em Cuba. De certa forma o actual momento esta lembrando um pouco a abertura tanto da Rússia quanto a da China, mas esta sendo mais lenta, talvez com o devido cuidado para que a adaptação ao neoliberalismo económico não quebre de mais os filhos da revolução. Certo é que era extremamente necessária essa mudança, no mundo de hoje estava mais do que na hora da pequena ilha dar um passo a frente para se alinhar aos outros países do mundo.


O Brasil e a economia:

Falando com um amigo meu sobre o mini-caos que estava gerando a crise das hipotecas americanas eu comentei algo que se pararem para pensar é um tanto quanto ridículo. Imagine que você faz um negócio de alto risco e por causa disso perde dinheiro, depois o que vai fazer? É mais ou menos isso o que estava acontecendo nos EUA, existiu uma crise na economia por causa dos calotes que estavam acontecendo com hipotecas de alto risco. Hora bolas, esperavam o que alto risco sem perder dinheiro? Ouvi gente falando que era a pior crise desde 1929, mas eu sinceramente não estava dando muita bola e assim como eu, o Brasil não deu muita bola, a Europa também e nem a China. No final das contas se fuderam alguns bancos e pronto, pois, a crise esta muito mais ligada a recessão na economia americana do que no caos das hipotecas.

Aproveito disto tudo para dar uma salva de palmas para a economia brasileira que anda muito bem. Há algum tempo atrás, se vocês não lembram, qualquer crise mais significativa no mundo a bolsa daqui caia que nem avião em pane e era um tal de dólar saindo do pais e um Deus nos acuda só. Hoje, a sensação que fica é de que se a economia americana ta mal ou de qualquer outro pais o problema é deles não temos nada com isso. Na verdade é um misto da independência não só nossa, mas de várias economias em relação aos EUA, podemos dizer sim que ainda é muito importante e decisivo fazer negócios com eles, mas hoje existem mais opções, mais possibilidades e cada vez mais as negociações se dão por acordos entre as grandes empresas e não por governos. Essa maior independência nos trouxe grandes benefícios a todos. Para o Brasil então depois de 20 e poucos anos de abertura política a maturidade económica chegou em boa hora. Já não vemos mais a ninguém, nos sustentamos bem e de uma maneira ímpar nossa impressas fazem sucesso no exterior tendo como grandes expoentes a Vale do Rio Doce e a Petrobrás. Parabéns aos Ministros da Fazenda desde Fernando Henrique a Guido Mantega que souberam guiar o Brasil por águas turbulentas até chegarmos a viver esse momento de calmaria em meio as tempestades alheias, ainda que com ressalvas não concorde com algumas posturas deles.


Bem...por enquanto é isso.

 

O que é o Discurso Humanista

Minha foto
Vamos ver: É um blog, acho que isso já diz tudo. Na verdade vai ser um apanhado de idéias que estão por aqui mesmo em minha cabeça, isso inclui bastante coisa mesmo. Serão abordados temas relevantes e irrelevantes e que de qualquer forma tenham alguma relevância para mim em um dado momento. Futebol, política, cinema, música e muitas coisas podem servir de tema de inspiração. Sejam bem vindos os futuros visitantes. Abraços a todos!

Melhores Textos

Categorias