A luta vencida por Stuart Scott

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015


Essa semana faleceu o apresentador da ESPN americana Stuart Scott, sei que para a grande maioria das pessoas ele vai ser um completo desconhecido então vou tentar falar um pouco sobre ele, o que representou e porque ele ganhou destaque aqui em minha casa virtual.

Stuart Scott foi uma voz para os negros dentro do jornalismo esportivo sendo o primeiro apresentador afro-americano a incorporar o estilo hiphop em seus comentários, apresentando e falando usando gírias das ruas. Ele dizia que tinha que ser ele mesmo e isso o levou a falar da maneira que as pessoas comentavam em casa sobre esportes. Essa abordagem nova rendeu ao mesmo tempo a admiração e respeito de boa parte dos espectadores (especialmente os jovens afro-americanos) assim como também rendeu antipatia e desconforto em outras pessoas.

Depois de saber da sua morte, lamentei a perda de uma figura interessante e singular do jornalismo esportivo americano, mas apenas após assistir alguns videos de alguns canais que sigo no youtube e ver os comentários de seus colegas pude perceber e entender realmente como ele foi importante e tocou a vida de tantas pessoas.

"Nosso colega, amigo e inspiração faleceu hoje pela manhã" disse Hannah Storm visivelmente emocionada enquanto anunciava a sua morte em rede nacional com lágrimas nos olhos. As reações foram similares também com seus colegas de bancada no Sunday Night NFL Countdown, confesso poucas vezes eu vi na TV tantas pessoas lamentarem desta forma o falecimento de alguém e aparentarem estar realmente sentindo essa perda.

Mas o principal motivo para a sua presença hoje em meu blog pessoal foi o seu discurso que marcou o ESPYS do ano passado (o oscar da ESPN). Suas palavras sinceras, tocantes e inspiradoras perpassam pelo seu sentimento de humildade, a vontade de seguir lutando, a necessidade do apoio das pessoas próximas e principalmente na emocionante combinação de palavras a partir dos 2:14 de vídeo: "When you die, it does not mean that you lose to cancer. You beat cancer by how you live, why you live, and in the manner in which you live." (Quando você morre não quer dizer que você perdeu para o cancer. Você vence o cancer pela forma como viveu, porque viveu e pela forma como você viveu.)







Música da Semana - The Only Exception

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015


Na tentativa de reviver esse blog que vos pertence, vou tentar criar alguma coluninhas divertidas e descontraídas que não façam mal ao raciocínio e de certa forma digam um pouco sobre a minha pessoa, além claro de extravasar alguns pensamentos em alta caixa de texto para que todo mundo possa ler. Bem...destas novas iniciativas a primeira que me veio a cabeça foi soltar semanalmente alguma música que ta reverberando mais forte em minhas playlists ou apenas na minha cabeça mesmo...enquanto vou seguindo meus caminhos. A primeira que me vem a mente é a The Only Exception que pertencente a banda Paramore.

A Paramore é uma banda americana de rock formada em Franklin, Tennessee no ano de 2004. O grupo já lançou quatro álbuns de estúdio All We Know Is Falling (2005), Riot! (2007), Brand New Eyes (2009) e Paramore (2013). A formação permaneceu praticamente sem alterações de membros de 2004 a 2010 e os integrantes atuais são Hayley Williams, Jeremy Davis e Taylor York. A música The Only Exception é uma baladinha bem leve, dengosa e grudenta, com ritmo meio indie/rock lançada oficialmente no site da banda em 17 de fevereiro de 2010...ah e não se enganem a grande maioria das músicas da banda tem uma levada punk/rock.

Como sou fã de rock de um modo geral sempre que posso dou uma passada pelos seus vários subgêneros e o indie na minha humilde visão é o que vem melhor sobrevivendo a esse novo milênio, produzindo mais coisas interessantes. Gosto bastante dessa mistura de melodias e letras que The Only Exception oferece para o ouvinte, servindo tanto para momentos in love, quanto para os momentos "to na fossa". Tem um quê de guilty pleasure nessa primeira escolha, mas isso faz parte do processo também. Espero que curtam!

"Meu nome, Libertadores, ficará gravado em você."

quinta-feira, 5 de julho de 2012


Tem tempo que não escrevo nada nesse blog pessoal mas esse é para matar a saudade e serve com um pouco de homenagem. Há pouco li um texto que me tocou bastante e foi muito bem escrito, colocarei ele abaixo. O texto originalmente foi escrito no site Trivela (que é muito bom por sinal), pelo colunista Felipe Lobo.

"Foram mais de 20 anos de espera. Um amor inocente, que nunca perdeu a esperança, mas que trouxe muito sofrimento. Desde aquele jogo em 1991, quando aquele argentino vestido de amarelo e ouro me afastou de você. Mas aquela não doeu tanto assim. Pior foi depois, quando você, Libertadores, seduziu, encantou e fugiu.

Veio 1996, rejeição enorme, falha dolorida. Você nem me olhou, apesar dos meus amigos gritando o meu nome. Veio 1999, quando você me trocou justamente por quem eu menos queria. Por que logo com ele, Libertadores? Mas nada se compara a 2000. Não bastava me trocar por ele, precisava ser de novo, nos pênaltis, daquela forma tão cruel? Me deixar abandonado na zona leste enquanto você desfilava pela Pompéia? O que eu tenho de tão ruim?

Ah, Libertadores, o sonho de 2003, as lágrimas e a tristeza de 2006. Teve aquele 2010, lembra? Não precisava estragar o centenário daquele jeito. Fiz uma festa tão bonita por você, mas você fugiu. E 2011? Você não me deu nem chance de chegar perto de você. Eu tinha um fenômeno, mas você me desprezou antes de eu entrar na festa. Parecia que você nunca seria minha, Libertadores.

Quantas noites você foi chorada, Libertadores. Quantas noites a zona leste amanheceu mais triste, ferida pelo que você causava. Quantas vezes o travesseiro foi o único companheiro para cada uma das eliminações. A rejeição, às vezes cruel. Mas nunca desisti. Corinthians é um nome forte. Tenho história, Libertadores. Por que me rejeitaste tantas vezes?

Hoje eu entendo. Vim mais uma vez, mas você se fez de difícil. Tive que enfrentar um carioca que tentou me roubar você. Um caiçara, que insistia em não querer te largar. Veio então aquele seu amor tão intenso nesses últimos anos, com sabor de alfajor e romantismo. Ah, Libertadores, mas dessa vez você não me escaparia. E teria que ser do meu jeito. Não teria tango, teria a explosão da emoção de viver aqui, ao som do pagode do Tatuapé, da Penha, de Itaquera. Eu sei que você me olhava, você disfarçava, mas eu via. Seu olhar fugia, mas você sabia.

O amarelo e o ouro te chamavam, mas você sabia, lá no fundo, com quem voltaria para casa. Eu sempre soube que você seria minha. Mas neste ano tive certeza. Te olhei com tanta vontade que quando segurei sua mão, ali na Praça Charles Miller, nem você conseguiu mais largar. Ainda mais depois de tantos incentivos, tantos “vai, Corinthians” que você ouviu. Meus milhares de amigos gritando, me incentivando.

Você sabia que aquela noite, eu teria que te ganhar. E te ganhei de um jeito que ninguém poderia contestar. Você sabe que me fez muita falta, mas tenho certeza que você sabe o quanto eu te fiz falta também. Meu nome ficará gravado para sempre em você. E nós dois jamais esqueceremos esse dia 4 de julho de 2012. Meu nome, Libertadores, ficará gravado em você. E anote aí, porque o meu nome é Corinthians. E essa é só a primeira vez."

Dia 6 - Com o coração na boca

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Depois de receber uma bronca da sra. Amanda bloggeira como eu resolvi tomar tendência como eu gosto de falar e tentar concluir essa odisséia. Óbvio que a vida termina atrapalhando um pouco assim com as incertezas de cada dia e da própria mente...mas vamos ao que interessa vou tentando enrolá-los pouco. Confesso que cheguei a cogitar colocar mais um filme de Kurosawa já que alguns críticos consideram o seu filme Rashomon com sendo um suspense - eu como não sou um deles resolvi escolher outra produção que mudou a indústria do cinema para sempre. 

Jaws esse é de meter medo mesmo

Tubarão foi o filme que mais me deu medo em toda a minha vida disparado. Aliás, eu diria que o efeito do filme foi tão forte que criou um medo onipresente da humanidade para com esse peixe carnívoro. A realidade para os banhistas, mergulhadores e espectadores de um modo geral se divide em antes e depois de Jaws (nome original do filme). Fora isso não tem como alguém ouvir aquele trilha sonora fantástica e não se borrar de medo pensando ou imaginando a chegada eminente do devorador de carnes; o terror dos 7 mares.

Foi a partir de Jaws (dele e de Star Wars) também que os blockbusters começaram a dominar o verão americano, tornando cada grande estréia um evento para a família toda que iria lotar os cinemas. Eu aposto que qualquer pessoa que nuca viu esta produção (coisa bem difícil hoje em dia) que for assisti-lo ainda ficará com aquela medo quase que irracional de tubarões...não estou aqui dizendo para encará-los....mas vamos ser realistas quantas pessoas já viram realmente um tubarão de perto? Quantos já viram eles atacando alguém (a maioria dos espécimes não atacam o homem)? Mas eu tenho certeza qualquer um que vir um tubarão só vai associá-lo ao ataque por causa desse filme.

Dia 5 - Atriz e ator preferidos

domingo, 18 de dezembro de 2011

Bem assim como nas categorias anteriores não estou querendo teorizar o que é melhor, mas principalmente o que foi mais significativo para me tornar o fã de cinema que sou hoje. A escolha de atores para mim não chega a ser tão relevante quanto a de diretores e roteristas, embora eu concorde que um bom ator ajuda a dar pronfundidade em uma obra mais fraca. Como fiquei em dúvida nessas escolhas vou citar também algumas pesoas que considerei para a escolha.

Atriz: Ponderei bastante sobre essa escolha e percebi o quanto as atrizes mais conhecidas hoje em dia são medianas e ainda assim são premiadas (Julia Roberts e Sandra Bullock estão ai para provar o que digo). A minha escolha vai para uma atriz que respeito bastante e que a cada ano vai conquistando um espaço no meu coração com espectador. Ela é bonita mas não é deslumbrante e sua beleza não causaria uma guerra como Helena de Tróia, começou jovem como atriz e desde cedo mostrou talento. Soube também manejar a sua carreira de forma interessante não se prendendo aos padrões do mercado e mesclando filmes que lhe exigiram um pouco mais. Natalie Portman é a minha escolhida, quase sempre faz boas escolhas de filmes e atua bem. Mensão honrosa para Kate Winslet e Meryl Streep, que por pouco não ganharam esse lugar.

Ator: Muitos não vão conhecer este ator, já os fãs de Kurosawa como eu saberão com certeza o quanto "O Lobo" representa para o cinema japonês. A sua parceria com Kurosawa rendeu 16 filmes, muitos papéis marcantes e reconhecimento internacional também. Destaques para a sua participação nos filmes: Rashomon, Os Sete Samurais, Trono Manchado de Sangue, A Fortaleza Escondida, Yojimbo - O Guarda-Costas, Sanjuro e O Barba Ruiva. Nascido na China e filhos de pais japoneses ele é considerado por especialistas como o maior ator oriental de todos os tempos. Teve também uma carreira longa fazendo ao todo 130 filmes e sendo premiado por 60 deles, o que dá um pouco da noção do seu talento. Toshirô Mifune é o meu ator preferido, por estar presente e fazer bem o seu papel em vários dos filmes que gosto. Mensão honrosa para Tom Hanks, Jonnhy Depp e Edward Norton.  

Dia 4 - Melhor diretor

sábado, 17 de dezembro de 2011

 Akira Kurosawa - O Imperador

Bem dá para imaginar quem deve ser o escolhido nessa categoria. Quem leu os posts até aqui sabe o quanto eu gosto dos filmes do "Imperador"¹, como os seus filmes me marcaram e o que ele represente para o cinema oriental. Akira Kurosawa começou no cinema como assistente de diretor, depois foi roterista, mas deu o salto para o estrelato mesmo quando assumiu totalmente o controle de suas próprias produções. A influência de sua obra se faz presente ainda e hoje e cineastas como Geroge Lucas, Steven Spilberg, Francis Ford Coppola, Martin Scorsese, Quentin Tarantino e os irmãos Wachowskis já se declararam fãs do diretor. Sem falar no gênero western que foi amplamente influênciado pelas obras do "Imperador" incluindo dois de seus maiores sucessos que tiveram adaptações praticamente fiéis - Os Sete Samurais virou Sete Homens e um Destino, e Yojimbo foi adaptado depois em Por um Punhado de Dólares.

O grande diferencial para mim de seus filmes são a sensibilidade que aflora de seus personagens, e técnica que ele usa para filma-los. Quem estuda ou conhece um pouco da cultura japonesa sabe o quanto as produções dele espelham o seu povo; o modo de agir, de pensar, a música os costumes são um reflexo da alma nipônica. Além disso seus filmes são muito bons, gosto de quase todas as suas produções e mesmo as adaptações que ele fez de obras ocidentais ficaram também muito belas. Por tudo o que representa para o cinema e para a minha formação como apaixonado por filmes, Kurosawa é meu grande sensei² no mundo da 7ª arte.

------------------------------
1 - Akira Kurosawa foi apelidado de "O Imperador" por ser o maior representante da filmografia nipônica, pela grande quantidade de filmes que produziu e pelo grande reconhecimento internacional que teve.


2 - Traduzido do japonês a palavra sensei siginifica mestre.

Dia 3 - Sessão da tarde Inesquecível

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Ah; sessão da tarde, o momento que toda a criança aguarda até aprender a mexer na TV a Cabo direito ou descobrir como baixar os filmes na internet. No meu tempo eu só tinha a opção de no máximo mudar para o SBT que em alguns dias da semana passavam filmes a tarde como o "mágico" Trovão Azul. Ahhhh, bons tempos aqueles. Eu poderia citar um número quase infenito de filmes que adorei ver quando mais jovem, mas vou falar dos mais significativos aqui porque obviamente merecem uma mensão honrosa. Goonies, Te Pego Lá Fora, Loucademia de Polícia, Férias Frustradas, Um Morto Muito Louco, Corra Que a Polícia Vem Aí,  e claro o melhor para 90% da população Curtindo a Vida Adoidado. Todos esses filmes são a cara cuspida e escarrada das produções de Sessão da Tarde, cheios de confusão aprontadas por uma turminha do baraulho e fariam juz a categoria.


 Os Aventureiros do Bairro Proibido

Como os melhores filmes de sessão da tarde Os Aventureiros do Bairro Proibido não tem uma sequência. Desde a primeira vez que ví esse filme eu gostei muito, personagens muito loucos, com poderes peculiares, aventura e claro muita mentira do jeito que as crianças gostam. Como bônus ainda temos a participação especial de personagens que ficariam famosos com Raiden!!! (Mortal Kombat), o Observador!!! que veio do desenho Caverna do Dragão e até o primo feio do Pé Grande!!! entre outros. Gostei bastante de Kurt Russel fazendo um motorista de caminhão durão, tendo que ajudar recuperar a noiva (uma chinesa de olhos verdes!!!) de seu melhor amigo que foi raptada. A aventura se passa em Chinatown, San Francisco e envolve o espectador em um mundo repleto de seres estranhos das lendas Chinesas (provavelmente o meu primeiro contato com a cultura oriental). As cenas de luta também são bem legais, mas o roteiro é o que faz o filme ser mesmo sensacional.

Raiden antes da fama de MK

 

O que é o Discurso Humanista

Minha foto
Vamos ver: É um blog, acho que isso já diz tudo. Na verdade vai ser um apanhado de idéias que estão por aqui mesmo em minha cabeça, isso inclui bastante coisa mesmo. Serão abordados temas relevantes e irrelevantes e que de qualquer forma tenham alguma relevância para mim em um dado momento. Futebol, política, cinema, música e muitas coisas podem servir de tema de inspiração. Sejam bem vindos os futuros visitantes. Abraços a todos!

Melhores Textos

Categorias