Excessos nem de virtudes!

quinta-feira, 22 de julho de 2010


Já faz algum tempo que percebo como as pessoas mudaram a forma de conduzir a criação de seus filhos, sei que com o passar das décadas os valores da sociedade mudam e que algumas coisas naturalmente iriam avançar com um maior impacto dos direitos humanos em nossa vida. Hoje olhamos para homens e mulheres de qualquer credo, raça e ou opção sexual de uma maneira mais igualitária ou ao menos tentamos fazê-lo pelo bom convívio social, mas ao mesmo tempo em que avançamos em alguns aspectos acredito que pecamos em outros.

Algumas medidas que antes auxiliavam a criação de nossas crianças e foram tachadas como práticas bárbaras foram banidas pelos defensores dos bons costumes, como dar uma bronca, colocar de castigo e porque não dar algumas palmadas. Quando feitas com bom senso e amparadas de uma boa conversa de olho no olho, essa práticas permitiam aos pais delimitar a seus filhos que tipo de comportamentos eram considerados impróprios.

De certa forma culpo boa parte dos psicólogos, psicopedagogos, psicoterapeutas em resumo todo esse pessoal psi que mexe com a cabeça e nossos comportamentos que amparado pela mídia e pelo movimento de paz amor destruiu a forma como criávamos nossos filhos. Desta forma envoltos a um sentimento de culpa impregnado nos pais as crianças que antes não tinham voz nem direito sobre as suas vidas, começam a ganhar direito ativo sobre a sua trajetória, mesmo sem ter ainda um mente madura para isso.

Não é incomum observar que as crianças hoje tem uma liberdade muito maior do que em qualquer outra época da história, meninas se maquiando com 10 anos, tendo o seu próprio celular com 8 anos, fazendo chantagem emocional com 5 anos não são uma excessão e sim um regra. Os pais ficaram tão limitados e estão sendo tão vigiados e reprimidos por órgãos e pressões sociais que terminam se tornando escravos de um modelo altamente desestruturante para sí e para seus filhos.

A sociedade se preocupou tanto em vigiar e punir os adultos que acaba não percebendo que estes ficaram presos ao um sistemas desgarrado e que é altamente promíscuo com as crianças que agora tem muitos direitos e liberdades, mas não tem pessoas que realmente possam lhe exigir deveres. Não sou e nunca fui muito fã dos defensores dos bons costumes, odeio os escoteiros e o politicamente correto, para mim não passam de hipócritas mal estruturados e permissivos sem nenhum pingo de bom senso querendo reprimir qualquer forma de espontaneidade.

No final das contas estamos ficando cada vez mais enjaulados, a sociedade esta andando á passos largos para ser uma anarquia social no pior dos sentidos, sem discussões e debates. Amparados apenas na idéia de vamos ser todos livres mesmo que não tenhamos um pingo de idéia e um conceito formado sobre a liberdade e como saber usa-la. Acima de tudo, falta estrutura emocional e psíquica para as crianças saberem usar essa liberdade de forma correta e do jeito que as coisas andam isso só tende a piorar infelizmente.

----------------------------------------------------------
1 - Esse texto era uma produção engatilhada há muito tempo e que até pela polêmica da lei que pretende punir a palmada e etc. se tornou extremamente pertinente a sua escrita e discussão, espero que ele faça-os pensar alguma coisa, sair do lugar comum e incomodar.

2 - Faz um outro bom tempo que não escrevia nada no Discurso aos que não sabem agora estou colecionando blogs e tenho escrito sobre cinema com alguns amigos no Cinema Detalhado.
 

O que é o Discurso Humanista

Minha foto
Vamos ver: É um blog, acho que isso já diz tudo. Na verdade vai ser um apanhado de idéias que estão por aqui mesmo em minha cabeça, isso inclui bastante coisa mesmo. Serão abordados temas relevantes e irrelevantes e que de qualquer forma tenham alguma relevância para mim em um dado momento. Futebol, política, cinema, música e muitas coisas podem servir de tema de inspiração. Sejam bem vindos os futuros visitantes. Abraços a todos!

Melhores Textos

Categorias